MEMÓRIAS DE UM PASSADO QUE TRANSFORMAM O FUTURO.

O Sairé é uma manifestação que acontece por vontade popular. Sua construção está nas bases da comunidade que, de geração para geração, transmite saberes e cultiva no dia a dia a energia que faz o Sairé ser uma festa popular com mais de 300 anos.

Foram as mãos de gerações passadas que nos trouxeram até hoje, que mantiveram viva a memória popular do Sairé. Antigamente, a Igreja exercia forte influência sobre os ritos, sobre as danças e as bebidas. Porém, há muito tempo a comunidade se apropriou novamente dessa manifestação religiosa e, por isso, a festa é responsabilidade do povo.

As pessoas que se comprometeram em levar o Sairé adiante, rompendo a barreira do tempo e das proibições, são personagens importantes para a Vila e para a salvaguarda de nossa história. Por isso, eles merecem destaque especial nesse espaço.

CANUTO LOBATO CORRÊA - FOLIÃO DO SAIRÉ

Seu Canuto nasceu na Vila de Alter do Chão em 21 de janeiro de 1940. É casado, tem 8 filhos e até hoje permanece na Comunidade. Em 1973 passou a fazer parte do Sairé, sendo integrante do grupo musical Espanta Cão. Além desta função, também foi folião e Alferes. Seu Canuto é o único integrante vivo da primeira formação do grupo Espanta Cão e, por isso, guarda em sua memória uma grande bagagem cultural de vivência da festa do Sairé.

DALVA DE JESUS VIEIRA

Dona Dalva nasceu em 12 de abril de 1962, na Vila de Alter do Chão. É casada, tem 8 filhos e é neta da primeira Saraipora da festa, a Dona Severiana. Há oito anos, Dona Dalva integra a corte do rito religioso ocupando a função de Saraipora

CRISPIANA DE JESUS SARDINHA (DONA NEGA)

Dona Crispina, mais conhecida como Dona Nega, é filha legítima de Alter do Chão e atualmente está com 90 anos. É uma das pessoas que detém bastante conhecimento sobre a festa, pois faz parte de sua organização desde quando foi retomada em 1973. Iniciou com a função de cafeteira, passando pela ornamentação do trono que recebe o arco e a coroa, até os dias de hoje, contribuindo como a dispenseira. Sua função é gerenciar tudo que será consumido pelos integrantes do rito religioso.

BENEDITA PEREIRA MADURO

Dona Benedita nasceu em junho de 1933 na vila de Alter do Chão. Passou a fazer parte da festividade do Sairé em julho de 1973, sendo convidada a ser rezadeira. Nessa época, Dona Benedita já acumulava a experiência como catequista dentro da Igreja de Nossa Senhora da Saúde. Além de rezadeira, Dona Benedita gostava muito de participar das noites culturais, participando de muitas danças que eram apresentadas.

URBANA COELHO FERREIRA

Dona Urbana é filha de Alter do Chão e mais uma das pessoas que está no Sairé desde sua retomada, em 1973. Ocupando a função de rezadeira desde que iniciou seus trabalhos dentro da festa, Dona Urbana é grande conhecedora das ladainhas e cânticos entoados durante a festividade.

JULIA FERREIRA CORREIA

Dona Julia tem 81 anos e nasceu em Alter do Chão. Guarda muitas memórias da retomada do Sairé e lembra de cada uma com muita saudade. Dona Julia é rezadeira e sente muito orgulho em fazer parte da festa.

IRACILDA LOBATO COSTA

Dona Iracilda é a atual juíza da festa do Sairé. Antes disso foi mordoma durante 7 anos e cozinheira. É moradora da Vila e esposa de Seu Antônio, mais conhecido como Babá.

ANTÔNIO DE JESUS VIEIRA (Seu Babá)

Seu Antônio, mais conhecido como Seu Babá recebeu do pai a responsabilidade pela cozinha do Sairé. Membro da corte do Sairé desde 1973, Seu Babá relembra com muita saudade os Sairés do passado com muita fartura, união e espírito de coletividade.

OSMAR VIEIRA DE OLIVEIRA

Osmar é filho de legítimo de Alter do Chão. Sua entrada na corte do Sairé se deu devido ao seu grande conhecimento sobre a festa e trajetória nos festejos. Aos oito anos de idade entrou oficialmente para a corte do sairé como folião. Seus avós Cecília de Jesus Vieira e Joaquim Vieira, foram os responsáveis pela transmissão de tantos saberes. Para Osmar, Sairé é legado, resistência, fé e devoção.