SAIRÉ DE SÍMBOLOS, DE GENTE, DE CORAÇÃO

Existem muitas versões para a origem do Sairé. Para nós, Sairé, ou Turyua, tem suas raízes nos povos originários dessa região. Ainda hoje o símbolo do Sairé é visto como sinal de resistência do povo Borari.

Muito antes da chegada dos jesuítas, os povos originários de Alter do Chão já festejavam o Sairé. Os primeiros relatos sobre a festa, feito por pesquisadores e cronistas, apontam que o Sairé era um ritual de passagem, uma espécie de festa para a lua. Isso explicaria, portanto, o formato em meia-lua, decorado com folhas. Nesse momento, não haviam cruzes e o arco era conduzido por três índias tapuias.

Assim como em toda a Amazônia, o processo de colonização de Alter do Chão foi atravessado pela catequese que significou a subalternização das religiões dos povos originários e a conversão maciça dos índios à doutrina católica. Esse fato alterou não somente a dinâmica religiosa, mas também a festa do Sairé.

A partir daí, os símbolos e ritos passaram por alterações. O arco passou a representar a arca de Noé. No interior do símbolo do Sairé três cruzes foram fixadas, para representar a Trindade Santa: Deus filho, Deus pai e a Santíssima Trindade em um só Deus. As fitas coloridas simbolizam as cores do arco-íris e algumas delas são fixadas no topo do arco representando a ligação entre Deus e os homens. No passado, o símbolo também possuía espelhos que sugeriam o reflexo da água na arca de Noé. Por isso, ainda hoje, a Saraipora faz pequenos movimentos de um lado para o outro, representando o balanço da arca na água.

IMG_7703.jpg

A COROA - SANTÍSSIMA TRINDADE

Símbolo que permanece próximo ao arco do Sairé durante toda, a Coroa tem relação direta com as festas de exaltação ao Divino Espírito Santo.

IMG_0246.JPG

SÍMBOLO
PELA SARAIPORA DALVA VIEIRA 

O Semicírculo que carrega a crença do povo Borari. 

O símbolo em formato de arca na crença católica, mas também na crença indígena em forma de uma lua, é composto pelas três cruzes que representam a Santíssima Trindade, o que antes era ornado por plantas e galhos, passou a ser entrelaçado por fitas que representam as cores do arco-íris.

IMG_0002.JPG

BANDEIRAS DO JUÍZ E DA JUÍZA

PELA JUÍZA IRACILA LOBATO

A bandeira branca representa a Juíza da festa, e a bandeira vermelha representa o Juiz da festa. Em cada bandeira se tem um pombinho que representa o Divino Espírito Santo. Esses dois símbolos são usados desde o início da da festa até o final, participando de momentos importantes, como a Cecuiara. 

A união das duas bandeiras representam o Divino e o humano.

IMG_0152.JPG

OS MASTROS

Os mastros têm origem na fusão da festa indígena com elementos do catolicismo. Os moradores mais antigos da Vila contam que a introdução dos mastros na festa se deu como uma homenagem a dois santos: Nossa Senhora da Saúde e São José. Hoje em dia, não vemos associação do mastro aos santos, no entanto, um mastro é dos homens e outro das mulheres.

A CORTE

CAPITÃO

O capitão tem a função de comandar a procissão. Com uma espada de madeira na mão e vestindo indumentária branca, o Capitão segue durante toda a procissão abrindo o caminho para passar o arco do Sairé.

SARGENTO

O sargento tem a função de auxiliar o Capitão em suas funções.

ALFERES

São eles que estão à frente da procissão o tempo todo carregando uma bandeira vermelha e uma bandeira branca.

JUIZ E JUÍZA

São os responsáveis pelo rito religioso e aqueles que detém grande conhecimento sobre a festa.

PROCURADOR E PROCURADORA

São os únicos que podem substituir o juiz e a juíza caso precisem se ausentar ou precisem de ajuda para algo dentro da festa.

REZADEIRAS

São as mulheres responsáveis pelas rezas e canções de exaltação ao Divino Espírito Santo durante toda a festa do Sairé.

TRONEIRA

A troneira é a guardiã de todos os símbolos que compõem o Sairé. É ela, por exemplo, que recebe das mãos da juíza a coroa e a posiciona dentro do barracão.

SARAIPORA

É ela quem conduz o símbolo do Sairé durante as procissões e que também o guarda durante todo o ano.

MOÇAS DA FITA

São jovens com vestimentas semelhantes à da Saraipora que seguram fitas presas ao topo do símbolo do Sairé e simboliza pureza e a ligação entre o Divino e os homens. Por isso, essas moças precisam ser virgens.

MOÇA DO TAMBORINHO

Essa jovem é a responsável por dar o toque de saída da procissão e do balanço do símbolo do Sairé.

MORDOMOS E MORDOMAS

Além de conduzirem o mastro na procissão, formam cordões humanos próximo ao mastro, carregando varinhas coloridas durante a festa. Além disso, são os responsáveis pela realização dos trabalhos no entorno do Barracão.

RUFADORES

Na festa do Sairé eles são conhecidos como foliões, pois entoam rezas e folias ao Divino Espírito Santo durante os ritos do Sairé.

DISPENSEIRA

É a pessoa responsável pela despensa da festa. É ela quem controla a entrada e saída de alimentos.

CAFETEIRA

É ela quem garante o café quentinho dentro do Barracão do Sairé durante todo o festejo.

COZINHEIROS

São os responsáveis pelo preparo do alimento que será servido aos foliões. Trabalha não somente durante a festa, mas também antes e depois de seu término.

© Fotos Mari Brunini e Maria Eulália